29 de out de 2011

A dor da perda...



Enganar-se a respeito da natureza do amor é a mais espantosa das perdas. É uma perda eterna, para a qual não existe compensação nem no tempo nem na eternidade: a privação mais horrorosa, que não é possível recuperar nem nesta vida... nem na futura!

20 de out de 2011



Fascinante mesmo são acontecimentos inesperados, fantasmas que do nada aparecem com ilusões, será?... Talvez seja verdade, talvez o que tenha acontecido foi somente contexto e tempos diferentes, éramos jovens quando aconteceu, ela era prometida até seu coração se perder em mim, foi intenso, um mergulho em nós mesmos. Más acabou, caí, me perdi, mas consegui me reerguer, me fortalecer, pensar mais em mim, até ser eu a me perder......................., a me apaixonar e me entregar a um amor puro, ela era meio caladinha, sem muitas respostas, mas me olhava nos olhos e me fazia perder toda a noção do que estava a minha volta, só queria abraça-la e sentir seu corpo em meus braços, ter filhos, me casar em qualquer ordem em qualquer lugar ou maneira, mas estar sempre ao seu lado, me lembro muito de um vídeo de Joseph Climb ou algo assim que apareceu no Jô Soares, perseverando e vencendo batalhas perdendo partes de seu corpo, pode até parecer meio aterrorizante mas é uma piada na verdade. Enfim novamente me surpreendi com esse amor avassalador daqueles que me sentia um adolescente, rsrs, esse é o lado ruim dos aventureiros, a queda em velocidade maior, rsrs... Ainda voltei a tentar, mas, novamente ela mostrou e conseguiu provar que tudo o que dizia sobre mim era pura mentira, eu, como acredito em milagres ainda fui tentar recuperar e abrir meu coração com esperanças e sentimentos à sua espera, surpreendentemente consegui, transbordei em felicidade, viajamos na mesma hora para acampar, tocar, nos divertir e nos reencontrarmos como homem e mulher e reviver o paraíso e o céu de estar ao seu lado como homem da sua vida, rsrs, como você mesma diz, rsrs, bom ouvir isso. Dirigia como se estivesse nas nuvens, uma nova canção, eu olhava sempre não conseguindo manter a seriedade, sorridente, feliz, segurava em sua mão, seus longos cabelos com o vento cobria meu rosto, eu não conseguia ficar longe nem por um momento até a canção acabar, não a do rádio, mas a de nossa vida, que nos aproxima e nos faz sofrer com a distância. Até ao seu lado não poder mais estar por confusão de sua cabeça, ouvir você dizer que não tem certeza de nada na sua vida, dizer que não tem certeza do que sente por mim e por mensagem terminar algo sólido, quebrar promessas, sonhos, construir cicatrizes em meu peito, tirar meu ar, matar o eu ao seu lado e curtir sua vida de boneca, seu mundo mágico que gira em torno de você como a lua nos cobria em nossas aventuras, no mar, na cachoeira fazendo amor... não posso mais sofrer essa perda, novamente essa perda.
Porque eu ainda não me encontrei...

16 de out de 2011

.......


…nada é como antes, nada tem mais aquele valor inocente e puro, hoje nascemos sujos por consequencia de pecados de carater humano, que todos nós provavelmente teríamos feito, agora não precisa nem mais uma presença, tudo por mensagens sem olhar diretamente nos olhos, posso até ser considerado antiquado mas sou intenso e preciso dessa mesma intensidade refletida em suas atitudes, fazer é diferente de esperar que alguém faça por você, as decisões precisam ser únicas, sem estepe, porque a vida continua e naó temos dois corações...

2 de out de 2011

Keep Walking...


Aconteceram tantas coisas, tantas mudanças, tantos planos, realizações, no inicio fiquei ferido, um pouco revoltado, mas lembrei de algumas coisas que vivi e ouvi durante esses anos, Deus não nos tira coisas, Ele nos livra delas, sentimentos perdidos, promessas desfeitas, você aprende a enxergar coisas diferentes de um mesmo lugar, talvez uma mesma atitude. Comecei realmente a me amar, a cuidar de mim, do meu jardim, o problema é que parei de esperar a borboleta certa, sei que não existe apesar de sonhar e ter esperado por toda a vida. Engraçado como todos os valores e amores a nossa volta se perde, por opção, por destino, por tristeza de não saber cuidar. Cansei de encontrar "vândalos" em meu jardim onde sabotam e julgam o belo, que na verdade não é visto por ninguém pois não conseguem ver nada além dos que seus olhos possam conduzir. Talvez uma estética dionisíaca que pelos excessos procura chocar a si mesmo em uma tentativa de borrar tudo o que contribui e desvia o seu olhar de dentro de mim....