25 de set de 2013

As três peneiras


Augustus procurou Sócrates e disse-lhe:
-Sócrates, preciso contar-lhe algo sobre alguém! Você não imagina o que contaram a respeito de...
Nem chegou a terminar a frase, quando Sócrates ergueu os olhos do livro que lia e perguntou:
-Espere um pouco, Augustus. O que vai me contar já passou pelo crivo das três peneiras?
-Peneiras? Que peneiras?
-Sim. A primeira peneira, Augustus, é a da verdade.
Você tem certeza de que o que vai me contar é absolutamente verdadeiro?
-Não. Como posso saber? O que sei foi que me contaram!
-Então suas palavras já vazaram a primeira peneira. Vamos então para a segunda peneira: a bondade. O que vai me contar gostaria que os outros também dissessem a seu respeito?
-Não, Sócrates! Absolutamente, não!
-Então suas palavras vazaram também a segunda peneira. Vamos agora ã terceira peneira: a necessidade. Você acha mesmo necessário contar-me esse fato, ou mesmo passa-lo adiante? Resolve alguma coisa? Ajuda alguém? Melhora alguma coisa?
-Não, Sócrates... Passando pelo crivo das três peneiras, compreendi que nada me resta do que iria contar.
E Sócrates, sorrindo, concluiu:
-Se passar pelas três peneiras, conte! Tanto eu, quanto você e os outros iremos nos beneficiar. Caso contrário esqueça e enterre tudo. Será uma fofoca a menos para envenenar o ambiente e formentar a discórdia entre irmãos. Devemos ser sempre a estação terminal de qualquer comentário infeliz!

                Da próxima vez que ouvir algo, antes de ceder ao impulso de passa-lo adiante, submeta-o ao crivo das três peneiras, pois pessoas sábias falam de ideias; 
pessoas comuns falam sobre eventos; pessoas medíocres falam sobre pessoas.

22 de ago de 2013

Universo particular


Incrível como as coisas mudam de uma hora para outra, em um ano marcado de sucessos e fracassos mas com uma base forte de sentimentos nunca sentidos, tudo parece virar pô, tantos cuidados, tantas mudanças e tudo volta novamente para a estaca zero. Acho que posso resumir em desconsideração, falta de amor e cuidados, tantas coisas que no seu universo fui penalizado, e quando mais preciso dessa segurança que também me é cobrada, no seu inverso acabo encontrando meu verso, triste, melancólico. 
Novamente perco meu temporário lar por não ceder as ameaças e ao perigo de colocar uma arma em suas mãos, de quem me deu a vida e a toda hora me cobra como um agiota, com seus juros imundos e seus gritos de ódio, arrependendo até mesmo de me dar essa vida, dolorida, sofrida, contida. 
Diante de tudo isso grito, "preciso tanto de vc hoje", tive tanta certeza que iria ver vc hoje, preciso tanto que estanque meu sangue que esta a jorrar pelo meu próprio caminho, fui ferido novamente, venha parar minha ferida, pois não posso parar de andar, o medo me fará afogar em meu próprio sangue se parar. Minhas crises já foram nossas e agora me vejo só, contido em meu sofrimento. Por que vc está para todos e não mais para mim? poderia me trocar pelo seu sono mas nunca por suas vontades individuais. Esse é o nosso agora, e não quero que seja nosso amanhã...Quero tanto ouvir que não voltarei a ser mais o mesmo, que posso realmente acreditar como uma criança, pura, sem sofismo, sem ataduras... Talvez seja apenas uma tempestade onde perco meu norte, e me desnorteio de mim, mas vc não está aqui para me mostrar o que não é real, vc esta em outras instancias, bem longe de mim, vivendo em um súbito mundo onde não mais pertenço, estava ocupada demais com esses fascínios virtuais pós-modernos,  mostrando sua indignação e seu sofrimento para os outros e esquecendo de que bastava apenas cuidar pra não sofrer, não perder, ligar e consertar, ir direto ao foco evitando sofrimentos alheios, voltando a felicidade plena do amor, não adianta mostrar por ai para todos, a solução esta bem mais perto e é muito mais simples, no fundo sabe mas não quer. Sei que vai mudar a direção porque sempre muda mesmo, mas nunca achei que perderia o foco, deixando de lado nosso universo particular.

26 de mar de 2013

Não quis consertar os erros, lágrimas o borrariam....

Ainda me lembro do céu negro, nuvens carregadas e eu novamente na chuva,
você não poderia ter me acordado, eu amo a chuva e como ela me toca,
não me acorde,
eu estava sonhando com a minha linda chuva,
acordado, novamente me vejo sozinho,
o sol forte me cega e não mais vejo estrelas em meu céu,
você estava em meu sonho e era mais bela que a noite,
mais bela que a chuva,
mais bela que meu sonho,
me fazia me sentir único,
fazia o céu nos contemplar,
agora fez a noite ir embora,
o sonho acabar,
não tire meu sono,
quero sonhar, quero estar,
quero nosso mundo sem regas, só instâncias,
essa é a linguagem do amor...
e é só pra que sente, saboreia, e enterra em si mesmo para nunca mais ser violado,
não me deixe sozinho no lugar que nos alimenta e nos fortalece,
é como a lágrima que transcende nosso corpo e carrega um pouco de nossa alma,
quero meu céu negro de volta,
quero minhas estrelas de volta,
quero tudo que se torna pequeno perto de vc,
bordando o seu redor,
moldando minha noite á sua espera,
quero vc,
quero dormir novamente e te encontrar em meus braços....


18 de mar de 2013

Drive (Incubus)




Às vezes, eu sinto o medo da incerteza me incomodar.
E eu não posso evitar me perguntar o quanto eu deixarei o medo assumir o volante e me guiar
Ele já me guiou antes,
E parece ter uma vaga atração maciça assustadora.
Mas ultimamente eu tenho começado a achar que
Eu deveria estar atrás do volante

Refrão

O que quer que o amanhã traga, eu estarei lá
De braços e olhos abertos, sim.
O que quer que o amanhã traga, eu estarei lá
Eu estarei lá
Então se eu decidisse renunciar à minha chance de ser mais um da colméia
Eu escolheria água ao invés de vinho
Me assumiria e dirigiria? Oh oh oh oooh
Ele já me guiou antes
E parece ser o caminho
Que qualquer outra pessoa pegaria
Mas ultimamente eu tenho começado a achar que
Quando me dirijo, encontro minha luz.

Refrão

O que quer que o amanhã traga, eu estarei lá
De braços e olhos abertos, sim.
O que quer que o amanhã traga, eu estarei lá
Eu estarei lá
Você escolheria água ao invés de vinho...
Assumiria o volante e dirigiria?

Refrão

O que quer que o amanhã traga, eu estarei lá
De braços e olhos abertos, sim.
O que quer que o amanhã traga, eu estarei lá
Eu estarei lá

Link: http://www.vagalume.com.br/incubus/drive-traducao.html#ixzz2NuiSDgPY

5 de mar de 2013

O silêncio

Silêncio, porque me estimula a aprender esse eu que é o meu; porque me obriga a manter-me fixo na infinita instabilidade da vida e a voltar para mim o espelho côncavo com que dantes procurava abarcar a vida fora de mim mesmo. Esse silêncio agrada-me porque me sinto capaz desse esforço e com coragem para segurar o espelho, mostre-me ele o que mostrar, o meu ideal ou a minha caricatura. 
Exigências absolutas feitas a qualquer pessoa que queira viver uma existência verdadeiramente autêntica.
Talvez o silêncio seja apenas um deserto, um momento único onde procuraremos toda a essência da felicidade, como o silêncio das estrelas segundo Lenine, da a ideia de um silêncio nostálgico e observador.

4 de fev de 2013

Sabedoria de se viver...



Gosto de gente com a cabeça no lugar, de conteúdo interno, idealismo nos olhos e dois pés no chão da realidade.

Gosto de gente que ri, chora, se emociona com um simples e-mail, um telefonema, uma canção suave, um bom filme, um bom livro, um gesto de carinho, um abraço, um afago.

Gente que ama e curte saudade, gosta de amigos, cultiva flores, ama os animais.
Admira paisagens, poeira e chuva.

Gente que tem tempo para sorrir bondade, semear perdão, repartir ternuras, compartilhar vivências e dar espaço para as emoções dentro de si, emoções que fluem naturalmente de dentro de seu ser!

Gente que gosta de fazer as coisas que gosta, sem fugir de compromissos difíceis e inadiáveis,
por mais desgastantes que sejam.

Gente que colhe, orienta, se entende, aconselha, busca a verdade e quer sempre aprender, mesmo que seja de uma criança, de um pobre, de um analfabeto.

Gente de coração desarmado,
em ódio e preconceitos baratos.
Com muito AMOR dentro de si.

Gente que erra e reconhece, cai e se levanta,
apanha e assimila os golpes, tirando lições dos erros e fazendo redentoras suas lágrimas e sofrimentos.

Gosto muito de gente assim como VOCÊ
e desconfio que é deste tipo de gente que DEUS também gosta!


30 de jan de 2013

Um olhar...



Quando um olhar penetra todo o nosso tempo, toda a afetação, toda a ambição, toda a vaidade, todo o jogo superficial de uma espiritualidade fabricada e frívola. Ah! Lamentavelmente o olhar vai mais fundo ainda, além das simples imperfeições e desesperanças de nosso tempo, de nossa espiritualidade, de nossa cultura. Chega ao coração de toda a humanidade; expressa em um único segundo, toda a dúvida de um pensador, talvez a de um conhecedor da dignidade e, sobretudo do sentido da vida humana. Um olhar que diz: “Veja os macacos que somos! Veja o que é o homem!” E toda a celebridade, toda a inteligência, toda a conquista do espírito, todo o afã para alcançar a sublimidade, a grandeza e o duradouro do humano se esboroavam de repente e não passava de frívolas momices! 

Normalmente me deixo ir além dos limites do habitual e convencional, digo coisas pessoais e singulares, acho q penso um pouco demais do que os outros homens e tenho nas questões espirituais uma quase fria objetividade, aquela segurança de pensar e de saber que só possuem homens verdadeiramente espirituais, que carecem de toda ambição, que nunca desejam brilhar nem persuadir aos demais nem arvorar-se em donos da verdade. 

Outras vezes há nesse olhar, um tanto mais de tristeza que de ironia, na verdade um olhar profundo e desesperadamente triste, com o qual traduz um desespero calado, de certo modo irremediável e definitivo, que se transforma as vezes em hábito e forma, as vezes me transverbero com minha desesperada claridade mas tento evidenciar a situação do momento, a expectativa, tento penetrar novamente todo o nosso tempo.