25 de mai de 2011

Cicatrizes...

Às vezes desapareço, perco todo o rumo dezes desaparecemos, perdemos todo o rumo as minhas projeções, esqueço que a vida não para e simplesmente me jogo, desconsidero tudo que aprendi sobre o amargo, sobre os erros, sobre os efeitos colaterais de minhas atitudes e encaro tudo como um desafio. Na verdade invento tudo isso, talvez procure vários ângulos diferentes pra tentar me convencer de que existe uma possibilidade, porque enquanto existir uma mínima chance de todo o sonho se realizar, hei de me machucar, de tentar mais uma vez, nem que seja á ultima, da ultima, de uma ultima tentativa de transformar o sem cor, por 64 bits de cores infinitas e possibilidades imensas, que as vezes esta escondido nas mentiras e ilusões criadas por mim mesmo,  sustentando assim seu universo junto ao meu, longe do mundo contaminado dos homens e mais perto de nós mesmos.

Nenhum comentário: