23 de jul de 2011

Vontade de potência...



…“Para quê?” vem do uso, até hoje dominante, graças ao qual o fim parecia fixado, dado, exigido de fora, quer dizer, por alguma autoridade supra-humana. Quando desaprenderam a crer nessa autoridade, procuraram, segundo uso antigo, outra que soubesse falar a linguagem absoluta e ordenar designos e encargos. A autoridade da consciência é agora sobretudo, uma compensação para a autoridade pessoal (quanto mais a moral se emancipa da teologia mais se toma imperiosa). Ou então é a autoridade da razão. Ou instinto social. Ou ainda a história com seu espirito imanente, que tem o seu fim em si própria, e á qual podem confiadamente se entregar..... dentre o risco que poderiam correr ao marcar uma finalidade para si mesmos.....


Nenhum comentário: